Receios e inseguranças (ou ainda mimimi)

Olá meninas lindas!!

Nossa, posso confessar que essa história de Au Pair está uma montanha russa de emoções?? Tipo um dia eu levanto no maior astral, achando que tudo vai dar certo, que serei a pessoa mais feliz nos EUA, que a family será perfeita e que encontrarei um tesouro no final do arco iris. No outro dia, já levanto pensando , cara, mas se a family for doida, não cumprir o prometido, e se não conseguir me adaptar, e  se me bater homesick….

Enfim, essa semana foi uma avalanche de noticias ruins, acho que isso influenciou um pouco no meu humor. Nem vou falar de novo sobre esse bendito aceite que não sai. Muitas meninas metindo rematch ao mesmo tempo (parece que é um vírus, minha gente), e meninas que foram e estão homesickiadas.

imagem aleatória pra não deixar o post sem uma 😛

Isso me fez lembrar da minha prova prática no Detran, a primeira que fiz e reprovei. Ninguem conseguia nem sair da baliza pra chegar a fazer o percurso. Aquilo foi me batendo um mini desespero. O seu cérebro (no caso o meu) já entrou no “modo boicote”. O único pensamento que me vinha em mente era: se todo mundo está reprovando, porque cargas d’aguas seria justo eu a não reprovar?? Não deu outra, reprovei também. Nem preciso dizer que fiquei arrasada né?! Mais pelo fato de ter que adiar a entrega do app por pelo menos 1 mês.

Como dizem por aí, se viesse fácil a gente não dava valor. Acho que tô nessa vida pra aprender mais que nunca a dar muito valor as coisas que conquisto, porque ôô dificuldade… #mimimi

Nas segunda vez que fui fazer a prova fui simplesmente decidida a passar na prova. Não queria saber se todo mundo tava reprovando (nem fiquei olhando os outros fazendo prova), se meu carro tava ruim ( e estava gente, perto de eu fazer a prova, saia litros e litros de água do escapamento), se os examinadores do detran iriam ou não com a minha cara (porque ôoo povinho, bando de mal comidos, como diria uma sabia professora minha), eu decidi que ia passar e não teria outro jeito.

E passei!! Com tudo contra: um maluco que se jogou na frente do carro durante a prova , a ré do carro agarrando e o medo dele não andar (a rebinboca da parafuseta não estava funfando) e o nervosismo normal e super intendível que te bate na hora não foram empecilhos para que eu não conseguisse (apesar de ainda achar que eu perdi meu patuá antes de nascer, porque o zica).

Então não vão ser esses pequenos detalhes que vão me desanimar, né? Porque o caminho só existe depois que a gente passa nele, e não dá pra ficar baseando sempre nas experiências dos outros, então vamos vestir o manto da coragem e vamos a luta! E seja o que Deus quiser (momento mega clichê, piguice ownando total)!!! 🙂

Acho super normal sentir insegurança e receio, só não podemos deixar de seguir em frente por causa disso, né nao??!! Sentiram que eu mesmo me ponho pra cima (pra que terapeuta??). E depois é só olhar pra trás e ver como tudo valeu a pena!! 🙂 *hoping*

“I haven’t got much time to waste, it’s time to make my way
I’m not afraid what I’ll face, but I’m afraid to stay
I’m going down my own road and I can make it alone
I’ll work and I’ll fight till I find a place of my own”

       … e beijo pra quem fica!!

Ps: imagem (aleatória) emprestada daqui!

Anúncios

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 38 outros seguidores