T.V. Au Pair em: Dirigindo na neve

Não tem nada demais. Só redobrar os cuidados, não vai sair metendo um 50 M/h, né gente? É como dirigir numa tempestade normal, todo cuidado é pouco.

Black Ice: é aqui que mora o perigo maior. Isso acontece quando a estrada congela só que você não consegue ver que o asfalto está com uma camada de gelo, e quando você passa adivinha? O carro derrapa.

Se isso acontecer, muita calma nessa hora. E por mais que te bata aquela vontade louca de pisar no freio como se não houvesse amanhã NÃO PISE NO FREIO porque você só vai piorar a situação.

Se você sentir que entrou num black ice e perdeu o controle do carro espera até ele sair sozinho (mão no volante tá povo)e você vai pegar o controle de volta, não pisa no freio por mais que seus instintos te digam pra pisar.

Isso foi um americano que me ensinou. Ele tava dirigindo e o carro fooooi embora (com nós dentro :P) e eu né, já morrendo (se fosse comigo dirigindo tinha tido um filho), ai ele explicou que isso pode acontecer e que caso aconteça NÃO PISE NO FREIO (tô só enfatizando).

Alguns outros fatores podem contribuir para isso, por exemplo o carro dele era baixo (excelente pra atolar na neve) e não era 4×4. O meu é grandão e por ser 4×4 ele parece que adere melhor no chão, sei lá, mas não fica tão assustador.

A outra coisa, é que dependendo da situação você vai ter que mudar a marcha. Ao invés de D, você terá que a usar a D1 se caso ter que subir uma ladeira mais ingrime e coberta de neve. Para os carros automáticos. Se o seu for de marcha normal (se f*deu, brincadeira :P), aí é só usar uma marcha de força, a 1ª ou a 2ª.

No mais é isso.

E como prometido, tai o vídeo comigo limpando carro e dirigindo depois. viu? e nem causei nenhum acidente 😀

Antes eu preciso fazer umas considerações sobre esse vídeo: a introdução já começa tida cagada porque eu não vi que saiu um “introduz o texto aqui” que só percebi depois de ter upado para o vimeo. Tá bom que eu ia fazer tudo de novo por causa desse pequeno detalhe 😛 (aham Cláudia…)

Palmas para mim!!

E beijos pra quem fica!

Anúncios

Apareceu a margarida olê olê olá

Então, como vocês sabem (ou não ¬¬) a neve demorou pra chegar aqui. Quer dizer, mais ou menos, porque o tempo aqui tá uma doideira (segundo meu pai, tudo minha culpa, desde que eu cheguei por essas bandas já foi furacão, terremoto, tempestade de neve em outubro… vai vendo…e no meio desse parênteses gigante eu me perdi ¬¬ vamos então mudar de parágrafo (professores de português enfartando em 1… 2 …)

Enfim, sim em outubro teve uma tempestade de neve, do nada, porque outubro ainda é outono e não é o mês mais apropriado pra nevar, digamos assim. Como eu contei nesse vídeo que fiz aqui, as árvores ainda estão cheias de folhas e ficaram pesadas com a neve. A conclusão foi: um Deus nos acuda.

Aí beleza, passou novembro, chegou dezembro, invernão aí e… cadê a neve? Nada dos floquinhos aparecerem. Brasileiras (caipiras que somos, e antes de mimimi eu me incluo nessa) numa angustia, só faltando rezar para os deuses da neve ( Hyoga de Cisne, talvez?). Por outro lado, auperizada européia dando graças porque a neve não parecia chegar nunca (a macumba deles tava mais forte pelo visto).

Mas depois de toda essa espera angustiante, eis que ela apareceu, dando todo ar da sua graça (vixi, alerta de breguice no máximo). E sábado de manhã eu acordei com esse cenário. Missão cumprida, já posso voltar pra casa (mentira, minha missão foi cumprida no domingo mas isso é post para outro dia).

apareceu a margarida olê olê olá

O legal daqui é que a meteorologia parece funcionar. Já é hábito aqui antes de dormir checar pra ver como o tempo vai estar no dia seguinte. A gente normalmente já sabe o que vai rolar a semana inteira, pra saber com que roupa sai de casa. Mas o melhor de tudo são as notificações no meio da sua programação normal.

Estava eu assistindo um The Big Bang Theory em mais uma noite de insônia e não é que aparece maior tarjão na tela avisando de uma mega tempestade (essa era de chuva mesmo)que iria ocorrer de madrugada e no dia seguinte. E não é que aconteceu?

Enfim, só pra avisar, que não foi surpresa, eu já sabia que iria nevar. Não programei nada pra fazer na sexta (até porque nunca faço nada na sexta mesmo :P) mas lembrei de comprar Nuttela, ficar a toa na vida pra ver a neve passar.

Fui dormir e nada de neve. Mas no dia seguinte… já contei isso né? vamos para a próxima então 😛

o quintal

Fiquei toda bobona, fofa morrendo de rir da minha cara. Eu coloquei o casaco e sai de pijama, mas fiquei meio enrolada de ficar tirando foto de forever alone na neve, não consegui. Tirei umas duas e voltei porque é meio complicado, muita neve, Luna afundando, segura a cybershot pra ela não cair (que eu não vou ligar porque eu odeio essa máquina), aí neve derrete, faz melecância na entrada. Vixi, que confuso, melhor voltar pra dentro. Voltei.

Meu moleque ainda meio doente nem pode curtir a neve, ficou lá abrindo berreiro até fofa ir fazer cupcakes com ele e distrair o menino.

E aí começa a sucessão de perrengue com a neve. Sim, todo mundo que já conviveu com a neve (neve, neve, neve) vai querer te dar um banho de água fria dizendo que é inconveniente, que no primeiro dia é lindo mas que no segundo dia você tá de saco cheio e blá blá blá.

Acho isso um porre! Acho um saco quem quer estragar a surpresa alheia, poooo se você pode ver neve em algum momento da sua vida, bom ora você! Não venha querer estragar a festa dos outros, né? Momento fudida revoltada, ahh “deixa eu” (usado propositalmente pra forçar piada, não sou analfa) fudida e nunca vi neve, e seguirei sonhando em ver. Que povo mais estraga prazer… mas enfim. A neve é linda, é mágica, fica tudo lindo, branquinho, cenário de filme, super vale a pena ver… mas sim ela traz uns perrengues, mas assim, sem muitos motivos pra mimimi todo.

Acho que as chuvas no Rio (tive que mudar de parágrafo, tava ficando gigante) fazem um estrago muito maior. Sim, você até vai ter uns entraves nos planos por causa da branquinha (tô esgotando a palavra neve já), mas pra mim foi tranquilo, juro, nada de demais. Até porque aqui tudo é tão organizado. Contarei como os perrengues foram se segunido, mas nada que aperte meu botão de mimimi (e olha que eu acho que esse meu botão veio com defeito de fábrica).

A primeira coisa foi o policial bater na casa e fofa quase levar uma multa porque o carro (que é aquele bonitão que vocês viram na foto que eu uso) fica estacionado na rua (não tem espaço para todos os carros mais na driveway) e atrapalhar o caminhão, trator, o caramba a quatro, que limpa a rua, é motivo de multa.

os floquinhos

Ai corre fofa no meu quarto pra me pedir a chave que fica comigo. Sei lá com como ela saiu com o carro naquela situação, mas saiu e deixou na driveway.

Ai beleza. Eu, ainda engajada na missão “vamos fazer amiguinhos mais perto de casa porque dirigir 40 min tá foda para o bolso’, tinha marcado um almoço com um novo au pair que tinha chegado aqui pelas minhas bandas. Mas ele tava sem carro e eu iria ter que ir buscar num buraco que eu nem nunca tinha ido antes.

E cadê a coragem de sair de casa? Olhei para a rua, mais ou menos limpa, e olhei o estado do carro na driveway. Eu nem sabia por onde começar a limpar. Lembrei da vaca da minha outra fofa que me colocou um medo de dirigir na neve, falando do tal dos black ices.

Alias, minha atual fofa nem aí. Ela perguntou, e aí? Vai socializar hoje? E eu, garoteei. Falei, ai, sei lá, como ainda cai neve no chão, tava só no cagaço do carro atolar (nem passou nem funk na cabeça de vocês nesse momento não, né?!) ou pior de deslizar num black ice.

Ela falou que era só eu redobrar a cautela. Mas eu preferi não. Fofa toda fofa falou, a tudo bem, amanhã vai estar melhor e você vai se sentir confiante. Quase falei pra ela (mas minha auto censura ainda tá funcionando), meu maior medo não é com a minha pessoa, é estragar a droga desse carro. Sou au pair, não tô podendo 😛

Enfim. não sai e assim passei o sábado inteiro em casa, olhando neve lá fora, escutando choro de criança o dia inteiro (isso porque ele não bate na minha porta de 5 em 5 min só pra ver o que tô fazendo) e comendo muita nuttela.

Dias seguinte. Já surtada de ter ficado em casa o dia inteiro. Só pra lembrar, quando se é au pair, ficar em casa em tempo off é mais ou menos ficar no escritório no final de semana. Você meio que acaba trabalhando. Por mais legal que sua fofaida seja, você quer dar um tempo de ver a cara deles.

No domingo eu já tava decidida a sair por aí. Fui lá fora ver a situação. Voltei. Fui lá fora de novo. Voltei pra dentro. Não sabia nem por onde começar. Aí ía lá fora, voltava com cara de “olha o cão arrependido”. O pior é que escorrega a neve, toda vez que eu ía lá fora, eu dava aquele oops… e ficava com mais medo ainda desse oops acontecer no carro.

Fofo só olhando minha dança da indecisão, mas vamos nessa né. Perguntei para meu fofo, meio que como quem não quer nada, o que eu deveria fazer, crente que ele iria se oferecer a limpar a neve, e porque não, até colocar o carro na rua.

Ele mandou um: ah, liga o aquecedor e espera que vai descongelar. Entendi como um, toma que essa pica é sua aspira. Tá bom né, o que que um siricutico de não querer ficar em casa faz com a pessoa. Fui lá, tentar resolver a situação.

E como diria um bom caveira, missão dada é missão cumprida! E eu não só limpei (bem porcamenmte confesso), mas como consegui tirar o carro de lá, e cheguei no lugar de origem sem fazer nenhuma merda.

E fiz até vídeo, que por uma questão de “falei de mais e agora preciso encerrar esse post urgentemente” deixarei para um próximo post.

Pra encerrar, um resumão: a neve é linda. Não é esse perregue todo que a galera canta por aí e eu espero que venha nevar novamente 😀

beijos pra quem fica!

Post sobre o nada e video na neve

Olá pessoas!

Nossa tenho tantas novidade pra contar, muitas fofocas da minha vida pra falar e eu tava dando uma olhada nos meus arquivos, tem muito material de passeios e dicas do que fazer em NYC. Como eu gostaria de fazer esse trabalho full time, viu? Alguém aí a fim de me patrocinar e me tirar dessa vida? Não custa tentar gritar para o nada, né 😛

Infelizmente a falta de tempo não me permite postar na frequência que eu gostaria.  Junta aí as milhões de horas pra trabalhar, as coisas normais de dia a dia pra fazer (unha, lavar banheiro, laundry) , ter uma vida social e dar um alou para a família no Brasil… é não me sobra tanto tempo.

Hoje particularmente está sendo aqueles dias em que a bruxa está solta e anarquizando tudo. Acordei meio doente e olha aí que alegria, dia de eleição as crianças não tem escola. Ou seja, no break para a pobre au pair respirar durante o dia. Hoje trabalhei sem direito a intervalo comercial, e quando isso acontece, eu faço as 10 horas certinhas. Faria até mais, se fosse pela vontade da fofa, mas né, dá as 10 horas, o 05 aqui tá pedindo pra sair (até fiz porque a mulher me chegou com 30 hora de atraso).

Pelo menos os finais de semanas estão compensando tuuudo! Esse que passou nossa, foi tipo assim, legen… wait for…. wait for a little more… dary!! Legendary!! Nossa, daqueles que entram pra história! Com direito a…. nossa conto depois, nem sei se posso, minha mãe lê esse blog 😛

Decidi também que vou dar um jeito de levar meu curso daqui até o final. Quero só ver como vai ser isso. Porque no final das contas, como fui EU que pedi rematch, eu tive que reembolsar a fofa com o dinheiro do meu próprio bolso. Olha aí que maravilha, e lógico que ela fez a maior questão. Eles sempre fazem questão dos centavos aqui.

Já contei pra vocês que eu recebo 195, 75 centavos, contadinho? Agora eu recebo em cheque, mas antes era em dinheiro e a mulher deixava um envelope com o dinheiro trocado. Uma vez tinha 5 moedas de 1 centavo. São esse detalhes que você pode avaliar o nível da família. Juro, gente, a triste realidade é essa. Normalmente uma família bacana arredonda pra duzentão e ainda te da um pouco mais naquela semana que você ralou igual uma condenada.

Como eu costumo filosofar nas horas vagas com a Ket (amiga momentânea, que bem fique claro :P) infelizmente são coisas que você só tem conhecimento estando aqui. Só depois que você está aqui é que tem uma ideia de tipo de família que combina melhor contigo e como as coisas realmente funcionam. Lembro que achava chatão esse papinho de “só quem está aqui” mas é verdade, só estando aqui…

Sei que tem uma galera que deve ficar meio braba aí com os depoimentos não muito cor de rosas que as au pairs, inclusive eu, posta. Mas ué, cara pálida, cada um com a sua experiência. A minha realmente, se eu lesse eu até  iria desanimar, mas assim, pra deixar aí um consolo, daqui da região que eu saiba eu que estava em pior situação.

Eu vou falar sobre escolha de família com mais calma, num post posterior. Saco é que as vezes tô na rua, ou sei lá, limpando o chão, e daí me vem altas idéias de post na mente. Claro que essas idéias todas somem quando sento na frente do computador. Acho que isso é normal, né?

Pra terminar esse post (alguém contou quantas vezes escrevi post?) que é sobre o nada, vou deixar um video que fiz quando já tinha a devida autorização da fofaiada pra dirigir na neve. As roads já estavam quase limpas e tal, e o cenário estava ficando de novo mais pra outono do que inverno.

Beijos pra quem fica cambada!

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 40 outros seguidores