Diga tchau Dani

Tchau Dani 😦

Pois é, mal fiz um mês aqui e tive que dar tchau pra tanta gente legal que conheci. Entre essas pessoas eu falei da Débora aqui. Também hoje minha outra mais nova melhor amiga de infância tá indo embora pra terrinha e eu nem tô lá pra me despedir (Crap Vermont)#mimimi

A Dani foi outra que estava lá por mim o tempo todo, aturou algumas frescurites crises minhas ( como na vez que fiquei presa do lado de fora da casa e ela veio me resgatar), me ensinou a dirigir pelas cidades, os caminhos (mais eficiente que um GPS), alias me ajudou a decifrar o GPS (porque né, eu via uma seta e virava na primeira rua que apontava :P), me mostrou os points daqui, me ajudou a mexer no meu carro, programou as radios, me ensinou a virar frentista colocar gasolina mas o principal, tivemos bons momentos de risadas juntas.

Vez ou outra a Dani é mencionada aqui não é atoa, não passávamos um dia sem se esbarrar e esse tipo de parceria que você faz no começo é super importante. Pelo menos pra mim foi assim, te ajuda a formar vínculo com sua nova morada.

Dani tchuca, faça uma boa viagem um bom retorno ao país de origem e tudo de bom nesse recomeço. Muito obrigada por tudo!

E pra encerrar, um dos nossos momentos incônicos no carro, soltando o gogó. Coitado de quem estava no carro do lado.

“I’m coming home
I’m coming home
Tell the World I’m coming home
Let the rain wash away all the pain of yesterday
I know my kingdom awaits and they’ve forgiven my mistakes
I’m coming home, I’m coming home
Tell the World that I’m coming”

Beijos para Dani e pra quem fica!!

Ps.: cantamos muuuuuito 😛

Anúncios

Para a ex-Au Pair com carinho

Esse post vai ficar meio fora de contexto, não tem nada sobre o programa em si, mas é uma forma de homenagear a pessoa que mais ajudou quando cheguei aqui, e que hoje fui deixá-la no aeroporto e vou sentir muita falta.

Quando você chega num lugar aonde tudo é estranho e diferente, e você não tem ninguém conhecido sua reação pode ser das mais inesperadas. Eu confesso que fui garoto, meio que foi me batendo um pânico quando entrei na cidade e vi que meio parecia que estava indo visitar a casa da vovó da Chapeuzinho Vermelho de tão mato que tem aqui.

Subi no quarto que eu ficaria instalada temporariamente porque a atual au pair ainda estava aqui e por aqui ficaria durante minha primeira semana. Eu tinha falado com ela muito pouco pelo skype ainda no processo de escolha da família.

Subi no quarto, olha eu repetindo a história, e tinha um cartão de boas vindas e uma caixa de bombom assinado pela atual ex au pair. Achei tão simpático, puxa ela nem me conhecia, nem precisava ter tido o trabalho.

Desde então, a gente se deu bem desde cara. Ela me ajudou em absolutamente tudo que eu precisei. Tudo mesmo. De coisas como trabalho, até ouvir minhas lamurias. Me deu força, apoio, foi a pessoa que definitivamente não me deixou surtar.

Me levou pra sair, me apresentou as amigas que agora são todas minhas também, me apresentou a cidade, até um instrutor de direção eu tive por causa dela.

Hoje ela foi embora e foi a primeira vez que fiquei sem companhia pra bater papo aqui até altas horas. De qualquer forma, ela me apresentou a toda família daqui. E quando eu quase achei que ficaria pra fora da casa por causa de uma pequena batalha Luna x fechadura da porta (porque a Débora não estava mais aqui pra me ajudar), a Dani (amiga que emprestei da Débora)veio aqui correndo me socorrer (thanks Dani ::)

Débora, minha linda, obrigada por tudo!! Que você seja muito feliz nessa sua nova etapa de vida. Vai fazer muita falta aqui!

Débora e eu peruando pela Victorias Secrets

Te desejo tudo de bom Deb-tocha e espero poder carregar o “bastão” que me passou de forma tão eficiente e dedicada assim como você fez.

Seja feliz!

beijo pra quem fica!!

Ps: Desculpa pelo post boiola gente, mas eu precisava fazer esse agradecimento público 😛

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 38 outros seguidores