With a little help from my friends

Esse post vai ser express, daqueles bem rapidinhos (acabou que não foi. Eu e meu problema de não saber ser sucinta)

É que hoje ontem aqui foi dia do amigo. Tá, valentine’s day também é dia dos namorados aqui, mas eu prefiro que seja data pra lembrar de amigos e gente querida #foreveralonefeelings

Aí, nessas datas sempre bate uma melancoliazinha por você tá longe de todo mundo. Apesar do meu dia ter sido foooooooda regado de muito tiro, palavrão, e Capitão Nascimento (#todassuspira), e ainda com direito a troca de cartões arrematado com McDonald.

Queria muito mostra o que eu ganhei aqui da Fernanda (um cartão fofo, outro cartão engraçaralho e uma caixa de chocolate ) mas a bateria da máquina morreu. Agora só amanhã.

Eu mostrei aqui as outras coisas que ganhei. Também mostrei o cartão que dei pra Fernanda. Me senti culpada porque ela me deu mais coisa que o combinado, então dei pra ela um Mc chicken, que faz parte do Dollar Menu do McDonald:P (porque o que vale é a intenção) SIm, depois de toda testosterona de tropa de Elite, agente foi fechar com chave de ouro se jogando nas gorduras trans. Tem coisa melhor?

Para o dia ter ficado perfeito mesmo, só faltou o laser tag. Nada como atirar pacas, pra liberar o estresse. Barneu Stinson tem razão. Tô pensado inclusive seriamente em usar terno, tomar wiskey e fumar charuto 😛

Infelizmente eu não pude estar com todo mundo que queria nesse dia por questões óbvias de logística, muito menos deu pra eu trocar cartão com todo mundo que eu queria (contei aqui da parada do curso e como eu estou quebrada ao quadrado), mas também não pude deixar de lembrar de tanta gente que me ajuda e/ou me ajudou a chegar até aqui.

Parece coisa boba, mas lembro que Tolken uma vez comentou (olha aí a intimidade) que é na guerra que a gente faz as maiores conexões. Sabe quando tá  tudo desabando? Aí entra as parcerias que putz, é o que vai te segurar aqui quando tudo tá dando errado, é o que vai fazer você não pirar.

É com os amigos que você vai trocar vinte mil SMS por dia pra reclamar do seu dia. Que vai ligar pra falar qualquer bobeira enquanto seu kid está na natação. Que você vai correr pra quando você tiver qualquer 5 minutos de folga. Que vai chorar junto, passar pelos perrengues juntos, e tá ali, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, no match e no rematch.

E eu sempre brinco que eu ganhei alguns mais novos amigos de infância nesses 7 meses aqui.

Já falei aqui mil vezes, já tive que me despedir de muita gente nessa vida (nossa que dramática eu) mas o tchau mais doloroso de todos foi quando sai de Chappaqua, justamente porque o porto seguro tava todo lá.

Mas aí, como você não tem mais 10 anos de idade, que você não quer mudar de escola pra não ficar longe dos amiguinhos, chgou a hora que mudar se tornou inevitável e eu tive que me mudar. E mesmo assim, elas ainda estão presentes. Gabi que o diga. Aquela menina que aceitou assistir Jurassic Park no cinema comigo (ninguém mais queria) e olha só… o curso que vou fazer é aonde? E adivinham com quem?

Dirigi milhares de vezes pra NY pra ir vê lá. Passamos o ano novo juntas. E no meu aniversário ela já me intimou: seguinte, ou eu vou aí ou você vem pra cá. O que vai ser? Mais nada se compara o que ela fez quando eu tava na m*rda.

Ela me abrigou. Fez uma pesquisa por família por mim. Ía me visitar quando eu mal saía da cama, e foi sozinha pra NYC pra comemorar o meu aniversário comigo. Na alegria e na tristeza ela esteve lá. Eu amo morar em New Jersey, só seria mais perfeito se ela tivesse aqui.

Gabi e eu na comemoração do meu aniversário em NYC

Aí você se muda. Tem que começar a vida social do zero. Vai em cluster meeting forever alone, vai pra House Party sem conhecer ninguém (e sim, é igual nos filmes), vai sozinha para uma cidade que nunca foi… até que PUFT aparece outra BFF (como o host dela sacaneia a gente) na sua vida, e  o melhor, mora a 20 minutos de você.

Sacaneio ela dizendo que ela tem só um defeito: tem menos de 21. Um feto gente. Eu que tenho que sair pra comprar bebida pra gente, posso com isso? Ela não pode entrar em bar, nem comprar bebida. E aí quando você vê? Tá lá trocando mil mensagens, falando mal da vida dos outros :P, resmungando da vida, procurando por um posto que vende gasolina mais barato, e se vendo quase que diariamente, quando o dinheiro da gasolina permite.

tem também todo mundo que já passou pela sua vida auperiana, as cofofetes queridas, a cafofete mó Dudi( que me carregou do meu porre absurdode tequila, e ficou deitada comigo na escada do metrô cascando o bico nas palavras dela #derrotanãoseespalha ). E até gente que você nunca teve oportunidade de ver ao vivo, que está a algumas milhas distantes mas está sempre presente. E até te manda uma lembrança de valentine’s day, não porque tinha planejado, mas só porque você (eu!) estava triste (escorre uma lagrima). Thanks forever Lais.

cafofetes no metrô (tá faltando a Larissa - leitora numero 1, e a Suélen)

Pessoa que você conhecia de oi no Brasil e que agora está na lista A de importância. Que me ligava diariamente pra saber como eu tava durante meu rematch, e me dava bronca se eu não mandava noticias. A Cris linda, que me caçou no ano novo pela Times Squaree ainda veio com um mimo. Um querida mesmo!

comendo Sushi com a Cris na Carolinas

E até as pessoas maravilhosas que conheci através do blog. Sim, existe muita pessoa que não vale a pena, mas ainda sim, existe muita gente boa, como a Fernanda, leitora do blog, que muito fofamente me ofereceu a senha da sua netflix (e eu tava só brincando, viu?). Eu ainda espero poder esbarrar contigo ainda 🙂

Ou ainda a Serena que sempre passa aqui deixando comentários corrigindo minhas caneladas. Nunca vou esquecer um dia que ela me ligou tentando me ajudar quando soube que eu tava em rematch. Thanks 🙂

Porque não adianta, por mais que você queira desabafar com os amigos de fora, família, parente, namorado, cachorro, periquito, marido, não tem jeito SÓ QUEM PASSOU PELO O QUE VOCÊ PASSOU VAI TE ENTENDER MELHOR. Em outras palavras, só quem é/foi au pair vai te entender, e são pra essas pessoas que você vai querer abrir seu coraçãozinho de limpadora de bundas. Para todas as outras se abstenha a dizer que NYC é f*da e que você tem comprado bastante 😛

Sempre é frustrante tentar falar com quem tá de fora. E é impressionante que quando você conversa com que está na mesma situação ou então quem já passou por isso, PLUFT a conexão é instantânea. E assim, as amizades são sendo construídas. E elas serão sua família aqui. (oouuunnnnnnnn),

Por último, para minha BFF mó (só pra esclarecer que eu uso esse termo na gozação, sempre!), que ficou no Brasil. Tá, ela não é au pair, nem nunca será (sorte dela), mas é a pessoa que sempre caminhou comigo juntas. É mais que amiga, é irmã. Que se eu coloco qualquer coisa no twitter, ela já vem com um e-mail querendo sabe o que houve, como estou. Que até tirou o visto pra vir aqui me ver.

Quem nem precisou estar aqui, ou ser au pair pra poder me entender.

Sem ela ir no cinema até perdeu um pouco da graça. Era minha companheira de tudo, de programa de índio, de furada, e que mesmo distante, de corrida atrás do ônibus certo que passava na minha casa e na casa dela, sempre presente com seus bear hugs virtuais. Missing her a lot.

E essa é a úncia forma de eu ficar maior que a Jacque

Eu sempre brinco que sou a cagada de urubu, mas relendo esse posts, pude perceber como as vezes eu tiro a sorte grande. Pelo menos em se tratando de pessoas.

Realmente a vida de au pair não é fácil, sinto muito dizer isso aspiras, porque parece que tô desanimando a galera, mas não é fácil mesmo. E olha que eu nunca tive vida de princesa no Brasil. Mas com uma ajudinha dos amigos, a caminhada se torna menos difícil.

“What would you think if I sang out of tune?
Would you stand up and walk out on me?
Lend me your ears and I’ll sing you a song,
And I’ll try not to sing out of key.

Oh, I get by with a little help from my friends,
Mm, I get high with a little help from my friends,
Mm, Gonna try with a little help from my friends.

What do I do when my love is away?
(does it worry you to be alone?)
How do I feel by the end of the day?
(are you sad because you’re on your own?)

No, I get by with a little help from my friends,
Mm, I get high with a little help from my friends,
Mm, Gonna try with a little help from my friends

Do you need anybody?
I need somebody to love.
Could it be anybody?
I want somebody to love.”

Post boiola do dia, mas sei lá… fiquei com vontade de fazer um agradecimento geral. Normalmente eu entro aqui só pra reclamar da vida. Sei que a vida aqui não tá perfeita, que passei por um monte de coisas, também sei que não tenho a família perfeita (ainda tenho que ter a conversa Bela Flor) mas né, pelo menos eu tive sorte com as pessoas, e serei sempre grata a isso 🙂

Beijos açucarados pra quem fica (#todasvomita)

Ps.: e amanhã voltaremos com a nossa programação mimimi normal.

Advertisements

4 comentários (+add yours?)

  1. Bela Flor
    Fev 15, 2012 @ 20:01:11

    Luna…
    É muito bom ter amigos em quem confiar, com quem se possa dividir alegrias e tristezas… Fico feliz por vc, pois sei que assim a caminhada fica menos dura…
    Bjos.
    Até mais.

    Responder

  2. Ana suelen Porto
    Fev 15, 2012 @ 20:59:29

    os amigos sao nossa segunda familia, né?
    quando nao se tem mae, pai por perto.. eles que “salvam” a gente.. choram junto, nos animam, nos fazem rir.
    o que seria de nos sem os amigos?!
    é sempre bom agradecer por te-los por perto!
    sinta-se sortuda e agradeca a papai do ceu!
    bjosss

    Responder

  3. Suelen
    Fev 16, 2012 @ 00:39:41

    OIeeee…
    post super bonitinho, ateh eu fui citada ali. hehehehe

    Olha soh, eu sempre leio o blog tah?
    Mas a preguica ou sei la oq nao me deixa vir aqui comentar. hehehe
    MAs eu gosto muitcho!!!

    BeiJoo

    Responder

  4. Mariana Alves
    Fev 16, 2012 @ 04:28:07

    Hey Luna!
    Parabens pelo post, o mais lindo ate agora! =)
    É incrivel msm como as bounds aqui ficam mais fortes ate mesmo com quem ficou no Brasil!
    Qndo eu lia nos blogs a fora (antes de vir) que aqui as emoçoes, os sentimentos ficam muito mais fortes e aflorados, eu nao acreditava e aqui to eu pagando lingua mor com muita choradeira e dizeres de saudades todo santo dia!=/
    Mas… faz parte e o seu blog conforta muitas de nos meninas q tao aqui no desespero dessa vida de limpadoras de bunda e escutadoras de desaforo de criança mimada!affffffffffffffffffffffffffff
    Continua firme ai q a gente acompanha de longe sempre na torcida!
    BJO

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 40 outros seguidores

%d bloggers like this: