Aquele do rematch – capítulo final

E pra terminar a trilogia da saga do meu rematch… vamos ao que aconteceu depois do rematch oficializado.

Na quinta de noite saiu o rematch oficial e na sexta acordei a pessoa mais feliz do mundo. Tão feliz que iria sair daquela casa que comecei a fazer as malas e fazer umas comprinhas na target (aquelas né que compram na target ¬¬).

Veio o final de semana, e no sábado pumba, já tinha uma família no perfil. O perfil da família não me animou em nada (eram judeus e o pai advogado com três crianças, sem carro e mom stay at home), ou seja uma versão piorada da família que já estava. Porém o lugar era aonde eu super queria ficar: Scarsdalles, NY. Perto da City e dos amigos.

Mas não rolou. E aí cara,foi uma sucessão de ou família doida (até família perigo entrou no meu perfil) ou então, não entrava absolutamente ninguém no meu perfil. Aí que caiu a ficha que ficar de rematch era só o começo da luta, ainda eu teria que passar de novo por todo o nervosismo de busca por família, só que com o relógio batendo na minha nuca. Duas semanas, and that’s it!

Comecei a desesperar, passada uma semana e nada.  Foí aí que bateu o desespero de verdade. Ficava remoendo se o rematch foi a melhor opção, se não dava pra segurar a barra pra fechar o ano, se fui imatura e precipitada. Comecei a achar que foi minha culpa. Essa foi a a pior parte do processo do rematch.

Ligava pra LCC e nada. Os e-mails dela era sempre muito vagos, e terminava com, eu te falei que existia a possibilidade de você não achar família. Aí, conversa daqui, conversa dali descobri o telefone da mulher que fica no QG da APC em são Francisco responsável em colocar as fichas das meninas em rematch para as famílias verem.

Fica aí a dica para as meninas que estão em rematch pela APC: o nome dela é Casey e o telefone é, anotem aí:

 1-855-381-3516

A Casey que faz a triagem de au pairs com perfil parecido e coloca lá como sugestão para as famílias verem. Mais ou menos como funciona o fastmatch no GAP.

A Casey também não me foi de muita ajuda, porque né, a agência resolveu tratar meu pedido de rematch como uma crise de homesick aguda, e que no fundo eu tava querendo em ir pra casa.

Por essas e outras eu vou fazer uma pausa aqui para contar tudo que eu penso sobre a Au Pair Care. Já começa tudo errado que no Brasil você não pode escolher família. Se você sair dispensando família, você leva uma chamada de atenção ou ainda é expulso do programa.

Agora me diz, se você não pode escolher a família, concorda que o coeficiente de vai dar merda rematch aumenta muito? Aí depois minha filha, você ainda não pode pedir rematch. Sentiu o qão feliz eu fiquei com essa agência, né?

A outra burrice, mas essa foi minha mesmo, foi pedi rematch depois que as escolas começaram. Todas as famílias vão se ajeitar antes das escolas começarem. Eu pedi rematch na pior época possível, daí outro razão para a escassez de família. Fora o fato de estar com ‘depressão’ estampado no meu perfil. Só dava família maluca assim.

Depois de uma semana fui lá na família conversar sobre como ficaria nossa situação e tal e a fofa falou que estava emocionalmente envolvida (seja lá o que isso significa) com uma outra menina mas que a guria só poderia chegar dia 19 de novembro. Daí ela me perguntou se eu não queria ficar lá até aquela data, daí ela não ficaria sem child care e eu teria um mês a mais para procurar uma família ou fazer o que eu tivesse que fazer e voltar pra casa (nessas palavras que ela usou).

Aceitei, of course. Um mês me tirou um peso nas costas, era um tempo bom pra achar outra família. Só não sabia que se eu achasse uma família anterior a isso eu não poderia sair. E eu quase (a história é mais complicada) perdi família por causa disso. Passado três semana perguntei se poderia ir ,porque tinha uma família que me queria mas que não poderia esperar até a data e levei um NÃO na cara.

A família disse que não poderia me esperar. Depois disse que esperaria mas nossa, foi uma confusão. Enfim, acabei fechando com a atual família que estou, por ser perto, uma criança só e a mulher falar que era bem relaxada e claro ela poderia me esperar. Era quase tudo que eu precisava 😛

Aí foi só ficar esperando o tempo passar pra me mudar. Nesse meio tempo me bateu a looouca dos passeios por NY (até então não sabia pra aonde iria, e vou te dizer que quase parei no Arizona). Em um mês eu fiz: Empire State, Estátua da Liberdade, Brooklyn Brigde, Wall Street, Torres Gêmeas, 5ª Ave, fui a dois espetáculos da Broadway, Central Park (ponte e Starwberry Fields) e mais algumas coisas que devo estar esquecendo. Fora claro, aproveitar a nightlife de NY.

os lugares por onde visitei

Depois dos passeios virei a looouca das compras: achava que iria ficar no meio do nada e sai comprando umas coisinhas que acabou virando aquela foto cheia de sacolas que vocês viram.

Mas o rematch é isso aí. Mexe demais com vocês. Nesse meio tempo eu não pude fazer planos de férias, nem de viagem nem de nada. Ficava numa angustia pra saber sobre o novo lugar, a família… porque afinal eu não fiquei 1 mês e me mudei, foram 4 meses. Depois de 4 meses, você se acostuma.

Agora tõ aqui tentando me acostumar com tudo de novo. Preguiça eterna de começar tudo de novo, mas vamos lá né… e acho que eu tô ficando doente… e laiá =/

E acaba aqui essa trilogia do rematch. Espero ter esclarecido como é o processo e matado a curiosidade de geral 😛

Beijos pra quem fica!

Anúncios

4 comentários (+add yours?)

  1. Nathália Jacomossi
    Nov 23, 2011 @ 14:20:26

    AHHH só faltou vc contar sobre o dia que vc foi embora.
    Como as meninas reagiram e tals.
    Heheheh super curiosa eu 🙂

    Beijos

    Responder

  2. Fernanda
    Nov 23, 2011 @ 22:02:46

    Adorei! Agora vc merece um descanso… de família exploradora e crianças birrentas!

    Bjus

    Responder

  3. Aline Gomide
    Nov 23, 2011 @ 22:47:28

    Luna,
    que saga essa a sua hein!
    Fiquei curiosa pra saber o que é ‘familia perigo’ que vc disse no post. Tem como vc me explicar?!
    bj 😀

    Responder

    • Luna
      Nov 28, 2011 @ 16:57:04

      Oi Aline,

      então no grupo au pair no facebook, a gente tem um documentos que as aupairs divulgam as famílias que são perigosas. Aí quando estamos coversando com alguém, a primeira coisa é ir lá verificar nos documentos. A gente chama de família perigo =P
      Beijos

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 40 outros seguidores

%d bloggers like this: