Why can we just all get along?

Uma das delícias de se ter um blog, cujo no nome não venha nada referido a au pair, é poder escrever as besteiras que me vem  a cabeça com as desculpa de que esse blog é sobre o nada e o tudo ao mesmo tempo.

Pensar sobre a morte da bezerra, formular teorias bestas milaborantes que não me servem de nada e filosofar sobre a vida o universo e tudo mais é comigo mesmo. E eu adoro poder escrever essas merdas todas aqui.

Uma coisa que a experiência de intercâmbio te coloca de cara assim é o contato com as pessoas. Eu sempre fui um ser muito social que adora estar em contato com o homo sapiens. Nunca me imaginei, por exemplo, sendo cientista. Já imaginou ter que fazer uma interação social com a bactérica o dia inteiro, noooo wayyyyy. 😛

Mas ultimamente as interações interpessoais tem me cansado um pouco, viu? Porque que as pessoas tem que fazer um drama pra tudo? Por que que tem gente que simplesmente não consegue relaxar e ir com a maré? Porque que tem gente que gosta de cansar a beleza alheia? Como diria meu pai, vou alí comprar um cachorro e já volto.

Uma coisa que é treinada aqui a exaustão é a prática pela independência. De todas as coisas que eu venho falhando miseravelmente em evoluir, essa pelo menos eu tenho passado com 10 e com louvor.

Porque é ótimo ter companhia pra fazer as coisas mas tem horas, não sempre, mas tem hora que tudo que você quer e precisa é de um momento com você mesmo. Meeeega cafona isso ,eu sei. Mas assim, cafonices a parte, não tem nada melhor que está confortável na sua pele o suficiente para poder aproveitar sua própria companhia sem depender das outras pessoas.

Comentei aqui num post bem antigo no meu aniversário de 1  mês de USA que eu vinha me surpreendendo em notar que como eu era uma boa companhia pra mim mesmo. 4 meses depois, eu fico surpresa de como ser independente tira um peso das costas e facilita demais a vida.

Não vou entrar no discurso de que ninguém depende de ninguém, isso é bullshit. Todo mundo, em certo nível, seja econômico, espiritual, psicológico tá ligado e dependente de alguém. Mas para as coisas pequenas da vida e do cotidiano, você pode simplesmente escolher ficar chateado porque não tem companhia pra ir no cinema, ou comprar um ticket pra você mesmo e ir ver seu filme feliz. Ou no meu caso, um show na broadway.

Se eu pudesse comprar um microscópio e colocar nas pessoas para fazer uma análise comportamental (me achando A piscóloga) eu ia notar que as pessoas que mais clamam mudo afora que são independentes são as que mais precisam de um suporte psicológico de outras pessoas e que normalmente fazem isso a base da força. Não a fisica, mas pela personalidade forte.

Assim fica fácil ser dependente quando se manipula todo mundo ao redor para que  seja feita a vossa vontade. Ser dependente as custas dos outros realmente é mole mole, fácil fácil (direto dos anos 90 essa aí :P).

Assim como as pessoas que adoram dizer as verdades inconvenientes ou se dizem mega honestas são as primeiras a não gostar de ouvir a verdade quando alguém se mostra disposto a dizer. Ironias da vida…

Na verdade, como diria meu mordomo preferido, o Alfred, tem gente que só quer ver o circo pegar fogo. Tem gente que vai fazer questão de migalhas ou só vai querer se mover quando algo for extremamente conveniente para eles mesmo. Simples assim.

Por isso que as vezes as pessoas me cansam viu. Sei que a maioria dos posts de au pair vem falando das pessoas maravilhosas que a gente conhece e é verdade. Conheci pessoas maravilhosas aqui, que sem eu ter nada para oferecer em troca me ofereceram ajuda, um ombro e uma palavra na hora que eu mais precisei.

Mas tem hora que tudo que eu preciso é estar sozinha com meu computador, meu café do starbucks, meu cartão pra fazer umas comprinhas (que não tenho gente, é só pra fazer charme =P) pra sentir um pouco dessa independência e liberdade conquistada e apreciada nesses 4 árduos (só pra fazer um drama) meses.

beijos pra quem fica!

Ps.: de qualquer forma, ainda vou fazer um post agradecendo a TODO MUNDO que ficou comigo durante a fase dark da minha vida auperiana. Ainda bem que se relacionar com pessoas é assim, cheio de surpresas 😀

Ps2: esse post terminou totalmente bipolar. Eu comecei falando uma coisa, fui falando outra e terminei com uma idéia totalmente oposta daquilo do que eu tinha dito antes. Mas vocês entenderam, não entenderam? #MetarmofoseAmbulanteFeelings

Ps3: sem contar que o título ficou meio perdido alí, sabe, meio sem a ver com o texto. Já falei que o título é a pior parte pra mim? Coisa louca isso, u mtexto gigante eu sou capaz de vomitar ele em 5 minutos. Mas a droga de um título, levo o dia inteiro pra pensar nele ¬¬

Ps4.: parei gente, podem sair do blog que não tem mais nada por hoje 😛

Anúncios

1 Comentário (+add yours?)

  1. tailarrpp
    Nov 15, 2011 @ 09:47:40

    Oi! Achei gostei do teu blog! Por favor, mantenha atualizado! hehehe
    Beijos e sorte aí

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 38 outros seguidores

%d bloggers like this: