Um Salvador de Vidas

Já vou pedir desculpa aos cabras macho que acompanham esse blog mas o assunto é bem Penelope Charmosa. Hoje vou dar uma dica de como cuidar das madeixas. Ou melhor, vou contar como eu estou me virando para poder deixar o cabelo com um pouco de dignidade.

Já cansei de falar por aqui que nossa condição de Au Pair sempre nos colocar em duas situações precárias: falta de tempo e falta de dinheiro para certos luxos. Esses dois fatores combinados nos leva a um cenário muito triste: ao embarangamento.

Tempo é algo preciosos pra gente e o pouco que nos resta não queremos perder com essas futilidades, e por outro lado gastar nosso rico dinheirinho em salão jamé. O que fazer então? Afinal de contas também  queremos sair bem naquelas foto que vamos tirar em Manhattan (e fazer inveja aos nossos amigos no facebook :P).

Então, quando eu fui forçada a ir pra Vermont eu confesso que dei a mínima bola pra mala.

Calma gente, que a historia está ficando longa mas eu tenho um ponto, prometo. Confia em mim e segue a diante com a leitura ——–>

Enfim,  naquela semana da minha partida pra Vermont  tinha um monte de coisa acontecendo e a última coisa que eu me preocupei em fazer foi a mala. Sabia que ficaria duas semanas, só me dei o trabalho de saber como seria o clima. Então em 15 min eu terminei a mala. Só fui jogando, uma calça jeans, um short, uma bermuda … e por aí vai. Foi a mala mais rápida do Oeste.

Eu estava com o estado de revolta mode on ligado ao máximo e não preocupei com mínimos detalhes, tipo cabelo. Tentei enfiar  secador e prancha mas estavam ocupando um espaço absurdo então tirei de lá e pensei, to nem aí. Vou ficar com cabelo esculachado mesmo e seja que deus quiser.

Num dia antes, passeando pela minha querida TJ MAXX (já falei delas aqui!) eis que me deparo com a coisa mais linda, mimosa e prática dessa minha vida auperiana: uma mini prancha. E com o preço mais lindo ainda: cinco Obamas.Não pensei duas vezes: arrematei.

coisa mais mimosa

Esse negócio pequeno fantasiado de Barbie é a praticidade em aparelho. Vou dizer porque: ai pair que se preze não pára em casa. Sua vida é Pack de um lado e de outro e essa mini prancha é perfeita. Não serve pra você deixar o cabeço todo lisão nem nada, é só um quebra galho mesmo. Ela serviu direitinho pra domar minha franja durante minha estadia em Vermont.

Falando nisso:  não sei o que aconteceu com meu cabelo, se ele incorporou meu espírito de rebeldia por está um tanto quanto contrariada em ir pra Vermont, mas meu cabelo ficou uma juba foda em Vermont. Sei lá o que aconteceu: se foi água, a falta de poluição ou só um reflexo de meu mal humor que se seguiu por esses tempos, mas tava duro de agüentar. Um dos motivos que me levou a não querer tirar foto minhas nesse tempo.

Não que eu seja a pessoa mais vaidosa do mundo, vez ou outra eu me dou o luxo de andar completamente descabelada por aí (sabe, naquele dia que você liga o foda-se e sai pra ser feliz) mas né, esculhambação também tem limites. E eu andei muito vendo “How I Met Your Mother” nesses tempos e já tava me sentindo mal toda vez que via o cabelo da Robin e da Lily.

Enfim, ( o pessoa pra devagar essa que vos escreve, viu?!) no auge do desespero, e precisando urgentemente de uma distração, durante um passeio inocente numa farmácia (depois falo mais sobre o assunto, mas as farmácias daqui são ddo outro mundo) eu me deparei com esse aparelho que já vinha namorando há séculos: o Ionic da Revlon.

minha mais nova paixão

Calma gente que não foi nada no afobamento: eu já conhecia esse aparelho que acho que nem tem no Brasil no site da fofíssima Roana, e desde então comecei um caso de amor com ele. Mas como eu estava ainda no Brasil, era um caso de amor platônico.

Até que então aterrissei aqui nas terras do Tio Sam e o caso de amor ficou mais sólido. Ficava lá namorando ele toda vez que ia na Target. Até que deparei com o Ioncia Revelon, filho único lá isolado numa prateleira, numa farmácia em Vermont, e mais barato ainda que no meu condado. Não pensei duas vezes, trouxe ele pra mim. Até porque a taxa em Vermont são mais barata que de NY.

E foi um dos melhores investimentos ever! Então meninas fica aí a dica, para meninas desajeitadas que nem eu que não levam menor jeito com a escova (não consigo fazer escova em mim mesma). Mas também não suportam o efeito artificial que a prancha deixa, o Ionic Revlon é a solução dos seu problemas (já posso trabalhar no polishop).

Ele é super prático e melhor de tudo, nos poupa tempo. Dá pra deixar o cabelo arrumadinho em pouquíssimo tempo. Perfeito para nossas necessidades auperianas.

E pra mim ainda veio com o plus porque no auge da minha rebeldia eu deixei meu secador lá no peru do Oeste, mas porém contudo todavia eu não tinha lembrado de um pequeno detalhe: eu fico com sinusite se dormir de cabelo molhado. Eu usei ele mais de secador mesmo, secava o cabelo, dava um formato na franja e prendia todo o resto e voialá: tava pronta para minhas altas aventuras em Vermont 😛

 Beijos pra quem fica!!

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 40 outros seguidores