Independência ou Morte!! Mas de uma forma mais legal =D

Olha leitoras queridas! (vocês lembravam que eu ainda tinha um blog, não lembravam?) E sim, eu coloco emoticon no título ¬¬

Então, vim aqui tirar as poeiras do blog, gente não esqueci que tinha um blog não, mas a vida off line estava agitadíssima (quem lê assim até acha que sou “a” importante).

Enquanto não tenho nenhuma novidade interessante pra trazer do mundo auperiano (até tenho, mas tô com preguiça de contar, e não, não é I Have a Match, jamais teria preguiça de contar sobre isso), vim aqui com mais um post tapa buraco 😛

Hoje vou falar sobre um dos temais que mais adoro na história americana: a independência americana (finge surpresa pessoas, como se vocês não tivessem lido o título) e a fundação da república (FREDOOOOOM, ooops, confundi os filmes, mas é tudo Mel Gibson,então tá valendo :P).

Eu amo esse tópico e espero não deixá-lo grande demais a ponto de vocês desistirem deles. Meninas, acreditem em mim: devemos nossa independência aos americanos, a primeira colônia a se libertar das garras de sua metrópole (sou praticamente Shakespeare). Enfim, não é a toa que eles são muito orgulhosos de sua história, na boa, até eu sou. Pois, diferentes de nós, eles não compraram sua independendcia, eles lutaram, e muito. Foi com muito suor, lágrima e sangue que conseguiram que a Inglaterra reconhecesse a independêmcia (mas eu já entreguei todo o final :P)

Vamos começar do começo, Luna? Assim, só pra dar uma organizada. estamos ainda em meados do século 18 (eu sei, eu sei, era para escrever em número romano, mas preguiça master, eu nunca sei de có), e todas aquelas idéias Iluminista (assusta com o nome não , só lembrar aqui ó!) culminou também na política.

As colônias americanas até então estavam se dando muito bem  com sua Metrópole(eram bródis, sacou?), a toda poderosa Inglaterra. Até que um dia, a Inglaterra (fudida que tava de tanta guerra que tinha se metido) se toca que tinha uns pobres para maltratar lá do outro lado do oceano atlântico. Pois assim fez, e resolveu f*der com a vida dos pobres peões, que dizer americanos.

Os americanos estavão todos lindos e faceiros vivendo na sua terra, trabalhando muito e se beneficando de um acordo com a coroa Inglesa (começo é sempre assim, tudo as mil maravilhas). A Inglaterra fornecia exército para proteger as colônias americanas, também comprava produtos de origem agrícula deles (sem novidades, Portugal também fez isso com a gente) e vendia por um preço camarada seus produtos manufaturados.

Até que um dia a lua de mel acabou, e tudo que aparentemente era vantagem, tornou-se (hummm usando mesócles, tô muito metida, gente) desvantagem. A Inglaterra começou a cobrar para manter o exército lá, cobrava preços absurdos nos produtos que vendia para os americanos, e por último proibia que as colônias americanas negociassem com outros países (estavam super no direito de metrópole evil!).

As colônias americanas então se uniram, Norte com Sul, e o que de início era pra ser uma rebelião, culminou com uma revolução. Os americanos se recusaram a obedecer essas imposições inglesas e se organizaram, lutaram contra o exército inglês.

1ª bandeira americana

Obviamente que teve uma ajudinha francesa (inimigos master), mas eles tiveram que dar a vida (literalmente) por essa indepêndencia, numa guerra que durou anos. E posteriormente, tiveram que brigar mais uma vez pelo reconhecimento dessa independência. Até Benjamin Franklin pintou lá no parlamento inglês pra tentar convencer a inglesada a dar o tão merecido reconhecimento.

A independência uma vez conseguida, agora pedia pelo estabelecimento de um novo governo. E para tanto, eles tiveram que elaborar uma constituição , que seria o pilar principal que organizaria e definiria esse novo governo. O documento foi redigido e estabelecia como forma de governo a República, e tendo um congresso e um presidente (República presidencialista). Esse documento pode ser “visto”, pessoas, olha aê que beleza, minha gente, porque é a mesma até hoje. Sim, os americanos só tiveram uma constituição até hoje (enaquanto isso, em terras tupiniquim,a gente perde a conta de quantas o Brasil teve).

Liberty Bell, um dos símbolos da independência americana

O primeiro presidente americano, por eleição foi George Washington (que havia organizado um exército na luta pela independência). O documento declarando independência apareceu em 4 de julho de 1776 (data da indpendência, mega feriadão lá). Foi escrita por thomas Jefferson.

A declaração de independência americana é deveras inspiradora, bem como sua constituição. Vou deixar aí pra vocês (aqueles vencedores que ficaram comigo até o final do poste não morreram de tédio) um treichinho da declaração de independência.

‘We hold these truths to be self-evident, that all men are created equal, that they are endowed by their Creator with certain unalienable Rights, that among these are Life, Liberty and the pursuit of Happiness. — That to secure these rights, Governments are instituted among Men, deriving their just powers from the consent of the governed, — That whenever any Form of Government becomes destructive of these ends, it is the Right of the People to alter or to abolish it, and to institute new Government, laying its foundation on such principles and organizing its powers in such form, as to them shall seem most likely to effect their Safety and Happiness.”

Aí que invejinha branca desse povo que pode se orgulhar de sua indepêndencia. A indêndencia americana foi só o começo, abriu portas para que outras colônias lutassem pela suas indepêndencias (menoas a do Brasil que foi escrota demais).

Pessoas, vou acabar por aqui, esse aqui foi o resumo do resumo (não vá me dar um Ctrl C/Ctrl V na prova não, viu? tem muuuito mais).

 … beijo pra quem fica, meu povo!!

ps: para assistir: o filme do Mel Gibson, O Patriota (conta exatamente essa parte da história).

  para ler: a Declaração de independência inteira, clique aqui ó!

  para saber mais sobre: o Liberty Bell, clique aqui!

 Ps 2: vocês contaram quantas vezes escrevi independência nesse post? pois é…

Anúncios

4 comentários (+add yours?)

  1. Lane
    Maio 19, 2011 @ 10:06:16

    Muito bom Luna!!! Acho que sua empolgação vai ajudar muito na sua estadia lá 😉 Mas a história do Brasil também é muito linda, não exatamente a parte da independência ehuheuehueh, mas todo o resto, sim!
    Não deixe de escrever aqui nããão e depois nos conte que novidade é essa a;i tá bom?! hahahaha! Beeeeijos :*

    Responder

    • Luna
      Maio 19, 2011 @ 10:12:24

      Elane sua fofa,

      realmente a parte da independência brasileira não é das melhores. Tô tentando não deixar de escrever não mas é
      que as vezes a gente fica meio se assunto né?!
      Beijão e que bom que não ficou entediada com o post

      Responder

  2. Thicy
    Maio 19, 2011 @ 11:29:11

    Oi,lindinhaa! muito bom vc s interessar pela história d usa tb. Passa a ideia d forma mais informal p qm vem aki ler.
    vou seguindo =]
    P.S.: “tornou-se” é uso de próclise (exemplo d mesóclise: convidar-me-ão ao ensaio).

    Responder

    • Luna
      Maio 19, 2011 @ 11:37:37

      Verdaaaaaaade thicy, furo meu!!
      Eu ia até pesquisar par ver a nomeclatura certa mas já estava tadão e passei batido!!
      Valeu por me alertar dessa canela o/

      Fico feliz que tenha gostado
      Beijão!!

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 38 outros seguidores

%d bloggers like this: